RESENHA - O Matrimônio de Céu e Inferno (Enéias Tavares e Fred Rubim)




Ficha técnica:
Referência bibliográfica: TAVARES, Enéias e RUBIM, Fred. Matrimônio do Céu e Inferno. 1ª edição. Porto Alegre, AVEC Editora, 2019. 128 páginas.
Gênero: Quadrinhos de ação/terror;
Temas: Assassinatos, vingança, destinos;
Categoria: Quadrinho Nacional
Ano de lançamento: 2019

“Em novembro de 1792, um gravurista inglês chamado Willian Black recebeu a visita de um revoltado demônio.
Este reclamava enfurecido que apenas o céu tinha uma bíblia, sendo o inferno apenas acessado por artistas e visionários. 
Black, ciente da preciosidade daquele saber, jurou ao demônio que gravaria seu relato e que o mundo teria a sua bíblia do inferno.”
*Título do livro (pág. 30).


                Na selva urbana de São Paulo, crime, desejo e redenção entrelaçam a vida de quatro personagens. Chico Amarante é um matador de aluguel a serviço de um poderoso conglomerado religioso. Verônica Viegas é uma acompanhante de luxo que sonha em voltar a Buenos Aires. Antonino Santos é o fundador da Orquestra Divina, uma organização espiritual que comercializa fé, esperança e livros sagrados. Dani Rosa é uma jovem pintora que traficava drogas para sobreviver e ajudar um amigo em estado terminal. No encontro de todos eles, um apocalíptico embate de revelação, poesia e morte.

O Matrimônio de Céu e Inferno é uuma história em quadrinhos roteirizada pelo autor Enéias Tavares (Brasiliana Steampunk, Guanabara Real e Fantástico Brasileiro) e desenhada Fred Rubim (ilustrador das graphic novels A Canção do Cão Negro e Le Chevalier Na Montanhas da Loucura), publicada pela Avec Editora. A história é uma mistura de adaptação e história inédita no qual acompanhamos quatro personagens que têm suas histórias entrelaçadas no caos da vida em São Paulo.
Chico Amarante é um exímio matador de aluguel. Certo dia ele recebeu a missão de eliminar um homem que estava no caminho de Antonino Santos, fundador da Orquestra Divina, uma organização espiritual que por baixo dos panos praticava todo tipo de práticas ilícitas. Havia uma regra para os trabalhos executados para Antonino: nada de pontas soltas. Ao matar o homem e sua esposa, Chico não teve coragem de tirar a vida de yumi, a filha do casal e acabou levando a menina consigo, sabendo que se fosse descoberto, com certeza seria morto. 
Nesse meio tempo Verônica, uma prostituta que trabalhava para Antonino, descobre que sua amiga morreu pelas mãos de um de seus homens. Indignada com o tratamento de “mercadoria”, ela começa a planejar sua vingança. E por último e não menos importante, Dani Rosa, uma jovem pintora que para conseguir sobreviver não teve outra escolha senão comercializar drogas. Além disso, ela ajudava com o tratamento de um amigo que estava em estado terminal. Cada personagem tem sua história, mas todas elas convergem em determinado momento da trama. 
Devo tecer aqui um breve comentário pessoal de que eu adoro tudo que o Enéias Tavares faz. Não foi nenhuma surpresa para mim saber que o material que eu tinha em mãos seria de ótima qualidade. Ainda mais se juntarmos a habilidade do quadrinista Fred e da editora que tem um carinho enorme pelos seus títulos nacionais. Porém, ao contrário de outros títulos que já tive o prazer de ler, aqui eu estava me aventurando pelo completo desconhecido, pois infelizmente eu não tinha nenhuma bagagem do que diz respeito a obra de William Blake. 
Então, de início, não consegui capturar as inúmeras referências trabalhadas na obra e você, leitor, não precisa se preocupar com isso. A narrativa funciona independente do seu conhecimento prévio a respeito dos versos de Blake. Claro que a imersão será MUITO maior, mas não é algo que prejudique sua experiência. Meu conselho é que você leia ao final as notas de referência e leia a história uma segunda vez. Será o suficiente para você querer saber MAIS sobre William Blake e querer consumir mais material desses autores incríveis. 
Importante frisar também o extenso trabalho de adaptação produzido pelos dois. Novamente, ao final do livro há páginas de making off onde os autores explicam sobre o roteiro e sobre a concepção dos desenhos e vocês vão ver que a harmonia que tem entre o poema do escritor e a proposta da narrativa encaixam de uma forma incrível. Dá para notar o cuidado que ambos tiveram para a criação dessa (na minha humilde opinião de leigo) obra prima do quadrinho nacional. Se eu, que não sou um grande consumidor de quadrinhos acho esse um produto sensacional, imagina os aficionados. Tenho certeza que essa será uma leitura altamente recomendada pelos especialistas de plantão. 

(imagem)

Interessante também notar a ambientação da obra, usando como pano de fundo a selva de Pedra que é São Paulo, fazendo com que o leitor possa se sentir em algum grau até mesmo representado pelas gravuras e textos, afinal, que lugar para melhor representar a diversidade de pessoas, gostos e vidas do que a maior metrópole do país? 

“Essa cidade tem tanta gente esquisita, diferente e apaixonada que aqui, estranhamos como eu… se sentem em casa.”
*Matrimônio de Céu e Inferno (pág. 60).

Intercalando entre os acontecimentos da história temos as passagens de Willian Black que dão nome a essa HQ. Como mencionei acima, não tenho conhecimentos sobre o autor. Sei quem é, mas nunca tive a oportunidade de conferir algo feito por ele. O pouco que sei foi o que absorvi da HQ e tenho de repetir que Enéias e Fred fizeram um trabalho tão incrível que me deixaram interessados conhecer mais sobre as “Portas da Percepção” das obras de Black.

“De forma furiosa e altissonante, o demônio revelou ao poeta pintor: Sem contrários nada muda ou evolui. A atração e repulsão, razão e energia, amor e ódio, são estados necessários à existência humana. Desses contrários floresce a divisão religiosa entre bem e mal. Bem é o passivo submisso à razão. Mal é o ativo que emana da Energia. O Bem é o céu. O mal, o inferno”
                             *Matrimônio de Céu e Inferno (pág. 31).

                A obra é escrita em terceira pessoa e acompanha os passos dos quatro personagens que gradualmente vamos conhecendo e entendendo suas motivações para fazerem o que fazem. O texto de Enéias aliados ao traço de Fred tornam a leitura ainda mais agradável e com certeza é um deleite para quem consome quadrinhos com mais regularidade. 
                E o que falar dessa edição de luxo da AVEC? Ela vem com uma jacket em papel brilhoso com uma capa dura. Antes da história começar podemos ler dois prefácios: da Cláudia Lemes e do Octávio Aragão. Após a conclusão da história temos as notas de referência, onde Enéias explica todas as referências inseridas no quadrinho, posfácio assinado por Manuel Portela, Making off, realizadores, agradecimentos e por fim os créditos. 
(imagem)
                Enéias Tavares é professor de Literatura na EFSM, onde orienta pesquisas sobre os livros iluminados de Willian Black e literatura fantástica brasileira. Pela Laya Brasil, publicou A Lição de anatomia do Temível Dr Louison, primeiro volume da série transmídia Brasiliana Steampunk, e pela Editora AVEC, Guanabara Real - A Alcova da Morte, este em parceria com A.Z. Cordenonsi e Nikelen Witter. Junto de Bruno Anselmi Matangrano, é o responsável pela exposição e livro Fantástico Brasileiro (Arte & Letra). Além disso, assina a coluna sobre escrita de ficção Bestiário Criativo e a webcomic A Todo Vapor! no portal CosmoNerd. O Matrimônio de Céu & Inferno é a sua primeira Graphic Novel. vive em Santa Maria com duas panteras e uma dúzia de escorpiões robóticos entre velhos tomos de quiromancia em um antigo casarão.
                Fred Rubim é quadrinista, ilustrador e designer gráfico formado pela Universidade Federal de Santa Maria. Desde 2016, desenhou vários quadrinhos publicados pela editora AVEC, como O Coração do Cão Negro e A Canção do Cão Negro, com roteiros de César Alcázar. É também dele a arte de duas graphic novels do roteirista A.Z. Cordenonsi: Le Chevalier - Arquivos Secretos e Le Chevalier nas Montanhas da Loucura. Além disso, em parceria com Enéias Tavares publica periodicamente a webcomic A Todo Vapor!, baseada na websérie de mesmo nome. Vive em Santa Maria, bem longe da capital onde nasceu. Dizem que lá há cartazes de “Procura-se Vivo ou Morto”, com sua foto e recompensa em destaque. 
Recomendo essa HQ para os aficionados por quadrinhos. Assim como nos romances, também temos muitos exemplos incríveis de trabalhos no quadrinho nacional. E Matrimônio de céu e inferno é mais um dentro de tantos outros. Para aqueles que têm conhecimento sobre Willian Black também vão achar aqui uma bela homenagem.
Com uma história visceral e impactante, Matrimônio de Céu e Inferno é sem a menor sombra de dúvidas uma grande contribuição para a cena contemporânea dos quadrinhos nacionais e merece um lugar cativo na estante de todos os fãs. 

Bibliografia de ENÉIAS TAVARES (ordem cronológica):


Livros:
Título do livro – Editora (ano).


Bibliografia de FRED RUBIM (ordem cronológica):

Livros:
Título do livro – Editora (ano).

Luciano Vellasco

Sou o cara que brinca de ser escritor e se diverte em ser leitor. Apaixonado por livros, fotografia e escrever. Jogador de rpg nos domingos livres, colecionador de Action Figures e Edições Limitadas de jogos. Cinéfilo, amante de series e animes. Estou sempre em busca de conhecer novas pessoas e aprender com cada uma delas e por último, mas não menos importante: um lendário sonhador.
Leia Mais sobre o autor

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!