RESENHA - Mulher com Brânquias (Patrícia Baikal)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: BAIKAL, Patrícia. Mulher com Brânquias. 1ª edição. Brasília. 248 páginas.
Gênero: Suspense.
Temas: Maldição. Peixes.
Categoria: Literatura brasileira.
Ano de lançamento: 2018.












“Senti-me como a mendiga para quem tinha negado carona algumas semanas atrás num dia chuvoso, no caminho para o aeroporto JK. Ela estava tão desesperada como eu. Também tinha brânquias como eu. Era uma estranha, como várias pessoas desconhecidas com quem me deparava todos os dias, sem que eu soubesse com quais monstros lutavam em suas realidades mais íntimas.
           *Mulher com Brânquias (pág. 216).

Em Mulher com Brânquias conhecemos a angústia de Rita frente às mudanças corporais que misteriosamente começam a ocorrer antes do aniversário de 33 anos. Rita vê escamas surgirem pelo corpo e volta a ter as sombrias visões as quais tinha quando criança.
O medo, então, passa a ser presente no dia a dia da professora universitária e proprietária do Porcelana & Cia. Em meio ao receio do desconhecido, Rita enxerga um grande peixe assustador nos lugares e momentos mais improváveis.
Em uma viagem a Monte do Batismo, cidade de Minas Gerais onde estão as origens de Rita, ela descobre segredos das Odas, suas antepassadas. A protagonista, então, passa a acreditar que seus devaneios são frutos de uma maldição.

"Eu estava suja num lugar inóspito, sentindo a solidão das presas fáceis que tinham a sorte de serem devoradas por inteiro. O que aconteceria comigo nos próximos minutos? A vida tomava aos poucos a forma dos meus mais íntimos pesadelos."
           *Mulher com Brânquias (pág. 198).

Mulher com Brânquias guia o leitor de acordo com as emoções de Rita. O livro é um misto de angustia, apreensão e alívio. Patrícia Baikal acerta ao construir o mistério em torno de uma personagem com a qual é possível se identificar. O resultado é a possibilidade de sentir na pele a trajetória de Rita.
O romance ainda apresenta os dramas familiares da personagem. Além das transformações, Rita encara o casamento do pai com uma mulher bem mais jovem; o sofrimento da irmã causado por uma traição; e a indiferença do avô.
Tudo que acontece com a protagonista envolve, de alguma forma, os parentes. Esse ponto deixa a narrativa mais amarrada, pois se restringe a história ao núcleo familiar e não confunde o leitor.
Mulher com Brânquias é narrado em primeira pessoa, pela Rita. O foco são as mudanças e descobertas da protagonista. A relação temporal é linear e boa parte da narrativa ocorre nos dias anteriores ao aniversário da personagem. Destaca-se o fato de o livro ser dividido em duas partes: antes e depois de uma experiência devastadora.
Ha incríveis ilustrações que dão ainda mais asas à imaginação. Os belíssimos desenhos em preto e branco dão vida a alguns momentos descritos na obra. A artista responsável é Fabiana Rezende.
Patrícia Baikal foi criada em Uberlândia (MG) e atualmente reside em Brasília (DF). Apaixonada por escrita, criou o blog Palavras de Bandeja, onde escrevia minicontos - alguns já premiados em concursos literários. Mulher com Brânquias é o segundo suspense da escritora. O primeiro é Mariposa, publicado em 2015.
Rita pode ensinar muito sobre autoconhecimento e autoestima. Ao enfrentar seus demônios, ela mostra o caminho para lutar contra o que nos aterroriza todos os dias. Por isso, Mulher com Brânquias é um livro indicado para todos aqueles que precisam lembrar como aproveitar a vida e dar valor às pessoas.


Bibliografia de PATRÍCIA BAIKAL (ordem cronológica):
Livros:

  • Mariposa – Kiron (2015).
  • Mulher com Brânquias (2018)




Isadora Teixeira

Louca por uma história cheia de mistério, mas sempre lê primeiro a última página do livro, pra tentar desvendá-lo. Adoro ler romance, mas mais do que isso, amo viver o meu.
Leia Mais sobre a autora

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!